6 boas práticas para manter a rede de sua empresa sempre segura

Você sabe a importância de conhecer e seguir boas práticas para manter a segurança da sua rede empresarial? A verdade é que não importa a quantidade e nem o alcance das medidas protetivas que você adota se ninguém na sua empresa estiver preparado para segui-las. Em postagens recentes de nosso blog, apresentamos muitas dessas medidas ― indo do nível de segurança básica ao avançado. E, para te ajudar a garantir que o esforço e recursos investidos em sua implementação, de fato, valham a pena, te apresentamos 6 exemplos essenciais de boas práticas. Vamos lá? #1. Realize o treinamento de sua equipe É muito comum que, fora atividades diretamente relacionadas com o trabalho, empresas presumem que seus colaboradores entendam tudo o que precisam sobre computadores, equipamentos e sua segurança. Nem sempre a realidade é essa. Por isso, vale a pena transmitir informações claras sobre as medidas de segurança de rede adotadas pela empresa. E, mais do que isso, apostar na realização de um treinamento para a equipe. Assim, você se certifica de criar condições para que seus colaboradores compreendam a importância das normas e se esforcem mais para cumpri-las. Outra vantagem é que esse treinamento pode passar noções básicas de segurança, dando a eles condições de, até mesmo, identificar possíveis novas falhas que representem riscos para a rede da empresa. #2. Informe sobre a relevância dos dados de login e faça uma boa gestão de senhas É bem comum que o acesso à rede ou ao sistema da empresa seja feito mediante apresentação de login e senha. Essa, inclusive, é uma medida de segurança já apresentada aqui no blog. Logins diferentes podem garantir permissões diferentes, configuradas de acordo com as funções e necessidades de cada colaborador. Assim sendo, além de informar sobre a importância de não compartilhar esses dados com pessoas de fora da empresa, vale alertar sobre a necessidade de não compartilhá-los também com colegas. Mais do que isso, é importante para o gestor ou responsável se lembrar de cancelar os dados de colaboradores que deixem a empresa e de fazer alterações esporádicas que possam evitar transtornos de possíveis vazamentos de dados. #3. Apresente regras e orientações para o uso do e-mail e o acesso a sites Cibercriminosos agem se aproveitando de brechas de segurança. Por isso, recomendamos o uso de e-mails com antispam e a restrição do acesso a sites de procedência duvidosa. Isso porque, muitas vezes, esses são os meios pelos quais links maliciosos chegam até os usuários que, por falta de conhecimento ou cuidado, acabam clicando e abrindo espaço para que malwares infectem a rede. Por isso, é importante definir regras que determinem, por exemplo, que o e-mail corporativo só deve ser usado para questões profissionais (reduzindo as chances de recebimento de e-mails tipo "spam" que podem conter links maliciosos) e restringindo o acesso determinados sites, definidos com base nas políticas da própria empresa. #4. Informe sobre procedimentos e permissões para a instalação de programas Instalar programas pode abrir portas para a entrada de malwares. Isso porque é comum que as pessoas não entendam as orientações e permissões solicitadas pelos programas e podem acabar cometendo erros no processo. Assim sendo, é importante que seus colaboradores sejam informados quanto aos procedimentos para a instalação de programas e, ainda, se ou quem tem autorização para esse tipo de ação. Vale destacar que, em meio às muitas fontes disponíveis na internet, nem sempre as pessoas recorrem às versões originais. Como consequência, pode acontecer de programas já infectados serem baixados, apresentando riscos variados. #5. Esteja atento à realização do backup O backup em si não é uma medida de segurança, mas é algo que pode garantir que os dados da empresa estejam a salvo e sejam recuperados em caso de uma eventual infecção da rede. Por isso, mais do que adotar o backup é preciso garantir que ele seja colocado em prática e, ainda, de forma segura e condizente com as necessidades da empresa. Se sua empresa opta por um backup manual, por exemplo, é preciso se certificar de que o colaborador responsável realmente entenda a importância e acompanhe a rotina definida para a atualização dos dados. Se, por sua vez, sua empresa opta pelo sistema em nuvem, é preciso garantir que a equipe de profissionais responsável por essa tarefa seja, de fato, capacitada e garanta que as rotinas de backup não gerem qualquer interferência no seu trabalho. #6. Contrate uma equipe de profissionais especializada Seja para colocar em prática todas as medidas de segurança de rede capazes de manter sua empresa 100% protegida ou para garantir o bom funcionamento constante dessas medidas, contar com uma equipe de profissionais faz a diferença. Há muito a ser feito, seja como solução imediata ou preventiva, e nem sempre uma empresa pode dispor seu tempo e recursos para essa tarefa, sem que isso prejudique as rotinas de trabalho local. Contratar uma equipe especializada, como a nossa, não só garante o cumprimento das medidas como permite que soluções cada vez mais adequadas sejam adotadas — tanto em função das necessidades de sua empresa quanto das novas ameaças que surgem a todo instante. Sua empresa já adota alguma dessas boas práticas para garantir a segurança de rede? Deixe um comentário contando a sua experiência!

Você sabe a importância de conhecer e seguir boas práticas para manter a segurança da sua rede empresarial? A verdade é que não importa a quantidade e nem o alcance das medidas protetivas que você adota se ninguém na sua empresa estiver preparado para segui-las.

Em postagens recentes de nosso blog, apresentamos muitas dessas medidas ― indo do nível de segurança básica ao avançado. E, para te ajudar a garantir que o esforço e recursos investidos em sua implementação, de fato, valham a pena, te apresentamos 6 exemplos essenciais de boas práticas. Vamos lá?

1. Realize o treinamento de sua equipe

É muito comum que, fora atividades diretamente relacionadas com o trabalho, empresas presumem que seus colaboradores entendam tudo o que precisam sobre computadores, equipamentos e sua segurança. Nem sempre a realidade é essa.

Por isso, vale a pena transmitir informações claras sobre as medidas de segurança de rede adotadas pela empresa. E, mais do que isso, apostar na realização de um treinamento para a equipe. Assim, você se certifica de criar condições para que seus colaboradores compreendam a importância das normas e se esforcem mais para cumpri-las.

Outra vantagem é que esse treinamento pode passar noções básicas de segurança, dando a eles condições de, até mesmo, identificar possíveis novas falhas que representem riscos para a rede da empresa.

2. Informe sobre a relevância dos dados de login e faça uma boa gestão de senhas

É bem comum que o acesso à rede ou ao sistema da empresa seja feito mediante apresentação de login e senha. Essa, inclusive, é uma medida de segurança já apresentada aqui no blog.

Logins diferentes podem garantir permissões diferentes, configuradas de acordo com as funções e necessidades de cada colaborador. Assim sendo, além de informar sobre a importância de não compartilhar esses dados com pessoas de fora da empresa, vale alertar sobre a necessidade de não compartilhá-los também com colegas.

Mais do que isso, é importante para o gestor ou responsável se lembrar de cancelar os dados de colaboradores que deixem a empresa e de fazer alterações esporádicas que possam evitar transtornos de possíveis vazamentos de dados.

3. Apresente regras e orientações para o uso do e-mail e o acesso a sites

Cibercriminosos agem se aproveitando de brechas de segurança. Por isso, recomendamos o uso de e-mails com antispam e a restrição do acesso a sites de procedência duvidosa.

Isso porque, muitas vezes, esses são os meios pelos quais links maliciosos chegam até os usuários que, por falta de conhecimento ou cuidado, acabam clicando e abrindo espaço para que malwares infectem a rede.

Por isso, é importante definir regras que determinem, por exemplo, que o e-mail corporativo só deve ser usado para questões profissionais (reduzindo as chances de recebimento de e-mails tipo “spam” que podem conter links maliciosos) e restringindo o acesso determinados sites, definidos com base nas políticas da própria empresa.

4. Informe sobre procedimentos e permissões para a instalação de programas

Instalar programas pode abrir portas para a entrada de malwares. Isso porque é comum que as pessoas não entendam as orientações e permissões solicitadas pelos programas e podem acabar cometendo erros no processo.

Assim sendo, é importante que seus colaboradores sejam informados quanto aos procedimentos para a instalação de programas e, ainda, se ou quem tem autorização para esse tipo de ação.

Vale destacar que, em meio às muitas fontes disponíveis na internet, nem sempre as pessoas recorrem às versões originais. Como consequência, pode acontecer de programas já infectados serem baixados, apresentando riscos variados.  

5. Esteja atento à realização do backup

O backup em si não é uma medida de segurança, mas é algo que pode garantir que os dados da empresa estejam a salvo e sejam recuperados em caso de uma eventual infecção da rede.

Por isso, mais do que adotar o backup é preciso garantir que ele seja colocado em prática e, ainda, de forma segura e condizente com as necessidades da empresa.

Se sua empresa opta por um backup manual, por exemplo, é preciso se certificar de que o colaborador responsável realmente entenda a importância e acompanhe a rotina definida para a atualização dos dados.

Se, por sua vez, sua empresa opta pelo sistema em nuvem, é preciso garantir que a equipe de profissionais responsável por essa tarefa seja, de fato, capacitada e garanta que as rotinas de backup não gerem qualquer interferência no seu trabalho.

6. Contrate uma equipe de profissionais especializada

Seja para colocar em prática todas as medidas de segurança de rede capazes de manter sua empresa 100% protegida ou para garantir o bom funcionamento constante dessas medidas, contar com uma equipe de profissionais faz a diferença.

Há muito a ser feito, seja como solução imediata ou preventiva, e nem sempre uma empresa pode dispor seu tempo e recursos para essa tarefa, sem que isso prejudique as rotinas de trabalho local.

Contratar uma equipe especializada, como a nossa, não só garante o cumprimento das medidas como permite que soluções cada vez mais adequadas sejam adotadas — tanto em função das necessidades de sua empresa quanto das novas ameaças que surgem a todo instante.  

Sua empresa já adota alguma dessas boas práticas para garantir a segurança de rede? Deixe um comentário contando a sua experiência!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba nossas novidades
em seu e-mail:

Insira esse código*: captcha